Veja também:

 

» Eventos
» Jornal Ibiti



Saiba utilizar bem o WhatsApp


Notícia publicada em 27/09/2017 - Visualizada 88 vezes


Por Fábio Duran

 

O WhatsApp é um dos aplicativos mais utilizados no mundo. Segundo a empresa, mais de um bilhão de pessoas em 180 países utilizam a ferramenta. E não é para menos. A facilidade de comunicação oferecida é enorme. “O que começou como uma alternativa ao sistema de SMS, agora oferece suporte ao envio e recebimento de uma variedade de arquivos de mídia: fotos, vídeos, documentos, compartilhamento de localização e também textos e chamadas de voz”, avalia a própria empresa.

 

É possível se comunicar por meio de mensagens diretas ou em grupos, o que facilita o envio de informações para pessoas de interesses em comum como familiares, amigos e colegas de trabalho. Mas há requisitos que não estão na lista para instalação do aplicativo, mas poderia estar lá, que são a atenção e o bom senso. Não apenas no WhatsApp, mas para todas as redes sociais e para um bom convívio.

 

Utilize o aplicativo de forma eficiente: se comunicar e resolver problemas. Não permita que seu uso vire vício e atrapalhe sua rotina, influenciando negativamente nos objetivos que almeja. Antes de compartilhar uma imagem, vídeo, áudio ou correntes, avalie se a pessoa no qual você irá compartilhar gostaria de receber, ainda mais porque tudo consome espaço no aparelho celular. Evite discussões desnecessárias e use os grupos que participa de forma objetiva, pois as vezes são criados para assuntos específicos. E o mais importante, confirme informações alarmantes antes de transmiti-las, a grande maioria são notícias com informações incompletas, antigas ou falsas.

 

O mau uso de redes sociais podem ocasionar problemas e situações graves. Parece um alarde desnecessário, mas é importante debater e refletir. O compartilhamento de informações falsas, por exemplo, já causou até mortes, inclusive no Brasil. Em maio de 2014 uma mulher foi espancada por dezenas de moradores no Guarujá (SP), após boatos em redes sociais de que a dona de casa sequestrava crianças para rituais de magia negra. Ela morreu dois dias após a agressão. Três anos depois o caso quase se repete com um casal de Araruama (RJ), em abril deste ano. Também vítimas de boatos envolvendo sequestro de crianças, uma multidão tentou lincha-los. Não houve um final trágico, pois a Polícia Militar e a Guarda Municipal foram acionadas. Ambas notícias podem ser encontradas no portal G1.

 

Outro caso que poderia causar problemas à vítima é o boato que um garoto xingado pelo ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, havia virado agente penitenciário em Bangu 8 no qual foi preso. O rapaz mora em uma das comunidades mais violentas do Rio e poderia ter sérias complicações com o tráfico local. As informações compartilhadas na rede podem prejudicar pessoas de diversas formas.

 

Vale destacar que o WhatsApp vem sendo utilizado como meio de prova para juízes em processos judiciais. De forma geral, use as redes sociais de forma consciente.

 

 

Leia também

Leia também

Leia também

Leia também

Leia também

Ver todas notícias

Banner